EFT Iniciante Ajuda Sua Filha aliviar constipação (prisão de ventre)

EFT Iniciante Ajuda Sua Filha aliviar constipação (prisão de ventre)

Texto: Gary Craig & Gill Danis  

Tradução e adaptação: BrasilPNL

prisao_de_vendre

Mais um artigo traduzido direto da Fonte, Gary Craig.

Oi a todos,

Tenho ouvido muitos relatos ao longo dos anos em que a EFT ajudou a aliviar a constipação. Aqui está outro caso por Gill Danis da França. Ela diz: “Depois de alguns minutos de escutas, Annie sentiu suas entranhas borbulhante.” Por favor, consulte os médicos sobre todas as questões médicas.

Abraços, Gary

Por Gill Danis

Caro Gary

Eu comprei os DVDs cerca de um ano atrás, mas eu só usei a técnica em mim mesmo. COMENTÁRIO GC: Esses DVDs não estão mais disponíveis. Eles foram aprimorados e substituído pelo material avançado em nossa loja. Recentemente, minha filha Annie de 26 anos me visitou e percebeu que eu estava me movimentando mais facilmente nos dias de hoje. Expliquei que a melhora foi devido ao trabalho de EFT que eu fiz para a minha dor nas costas.

Perguntei a Annie se ela teve algum problema em que poderíamos tentar utilizar a técnica de EFT, e em primeiro lugar, ela disse que não havia nada. Depois de um tempo ela admitiu que estava incomodada com uma constipação crônica, e ela tinha a sensação de que isso estaria prejudicando a sua saúde em geral. Agora, a razão para a prisão de ventre é que ela foi um bebê muito prematuro, e como resultado, houve alguma lesão do nervo (neuropatia periférica) e também ela nunca produziu o que vocês chamariam de fezes “normais”, como um bebê.

Em suas próprias palavras, ela sempre foi assim como excrementos de coelho, a cada três dias. Apesar da atenção à sua dieta, com abundância de frutas frescas, legumes e saladas, ela teve muitas vezes que recorrer a laxantes. Começamos a fazer a técnica de EFT (e rindo, claro) e fizemos a inclusão de uma frase falando de como isso era difícil na vida de Annie. Eu acho que isso é algo que ela tem suprimido, porque ela não quer que sintam piedade por suas debilidades físicas.

Depois de alguns minutos de tapping com EFT, Annie sentiu suas entranhas borbulhando Na manhã seguinte, ela teve uma evacuação – mais cedo do que ela esperava, mas nada de extraordinário. Ela foi para casa e, em seguida, me pediu para lhe ensinar como fazer a EFT para que ela pudesse continuar a técnica sozinha em sua casa. Desculpe se isso é forte, mas nós realmente dissemos “vamos fazer a técnica para eliminar essa porcaria”!

Dez dias após o início da EFT, ela me enviou este texto – é real, “Adivinha o que aconteceu eu fiz….,, mas – é 08:15 e eu acabei de fazer o minha primeira evacuação desde muito tempo sem laxantes! ”

Bem, eu tenho certeza que você já ouviu isso muitas vezes, mas estamos surpresos e muito felizes pelo resultado que vocês alcançaram. Obrigado.

COMENTÁRIO GC: Parabéns por este resultado! Saiba, porém, que nem todos os casos de constipação são tão fáceis. Na maioria os tais resultados tendem a ser temporários ou parciais e, portanto, exigem abordagens mais aprofundadas. Precisamos descobrir eventos específicos – um conceito essencial Dentro do Processo de EFT e O Processo de Paz Pessoal e ainda a técnica – Diga-me a historia, ou seja às vezes é preciso dedicação.

 

Tudo de bom

 

Gill Danis

 

http://www.emofree.com/articles-ideas/newcomers/constipation-relief-gill-article.html?utm_source=newsletter_137&utm_medium=email&utm_campaign=newsletter-2-5-2015

Como realizar a EFT para um leigo, sem ter que explica-la

Como realizar a EFT para um leigo, sem ter que explica-la

eft_sem_explicar

 Por Gary Craig & Gene Monterastelli

Tradução e adaptação: Equipe BrasilPNL 

Dando continuidade a nossa serie de artigos Originais de Gary Craig em seu site Emofree, nesta edição temos um caso incrível de aplicação da EFT para um leigo, e o melhor sem ter que explicar detalhes, vejamos o que Gary nos diz:

Oi a todos,

Às vezes é apropriado fazer uma versão muito simplificada da EFT sem tentar explicá-la. Este foi o caso de Gene Monterastelli e como ela aplicou a EFT para um professora do segundo ano de escola primária. E obteve muito sucesso

Abraços, Gary

 

Por Gene Monterastelli

Faço parte de uma equipe de resposta pastoral, cuja atuação é trabalhar em um sistema escolar para fornecer ajuda e apoio dentro das faculdades e escolas nas primeiras 72 horas de uma situação de emergência. Oferecemos suporte emocional, aconselhamentos sobre oportunidades e atividades de resposta para ajudar o processo de cicatrização.

Recentemente, fomos chamados para uma escola secundária, em uma manhã de segunda-feira após uma fatalidade ocorrida com um dos professores do 7º ano, “Jane, havia cometido suicídio no fim de semana. Os alunos estavam respondendo bem como já era esperado. Depois de 11h de muito trabalho grande parte já tinha sido feito. Todos os estudantes tiveram a chance de responder, tínhamos identificado os alunos e os professores que necessitavam de atenção especial nos próximos dias e semanas, e os estudantes estavam prontos para voltar para a escola diariamente.

A maior parte da equipe de aconselhamento estava em um corredor à espera de uma classe que estava no horário para ir embora. O vice-diretor se aproximou de nós para perguntar se um de nós estaria disposto a ir falar com um dos professores da segunda série que estava em um momento particularmente difícil. Até este ponto, toda a nossa energia foi concentrada na faculdade, no ensino médio e estudantes porque os alunos do ensino fundamental não sabiam sobre o professor que tinha morrido.

Desci as escadas para falar com a professora Sally do segundo ano. A professora que havia morrido só tinha ido na escola durante um ano e particularmente não se dava bem com o resto da equipe. Sally foi uma das poucas confidentes que Jane teve na escola. Sally estava lutando com duas questões. Em primeiro lugar, ela sabia a fase difícil que Jane estava passando e estava se sentindo culpada por não conseguir ter a ajudado mais. Em segundo lugar, ela estava preocupada porque Jane tinha deixado para trás uma filha de 13 anos.

Perguntei-lhe se ela queria tentar uma técnica de relaxamento que pudesse lhe ajudar um pouco. Pedi-lhe para me mostrar com as mãos o quão grande essas emoções eram. Ela segurou suas mãos cerca de 2 metros de distância.

Então eu disse: “Coloque suas duas mãos a nossa seus peitos, (ponto dolorido) massagei-os. [eu demonstrei} Faça algumas respirações profundas e apenas ouça a minha voz.

  • Como ela poderia ter deixado sua filha assim … Eu deveria ter feito mais … Eu sabia que ela não estava bem e não fiz nada … seu marido está sozinho para educar uma criança.

Agora toque logo abaixo de sua boca. Faça mais algumas respirações profundas e apenas ouça a minha voz. Tenho culpa, mas eu não fiz nada… a raiva deve ficar para trás.

Repeti isso para o queixo e clavícula. Eu, então chequei para ver o que havia melhorado, sabendo que tinha feito progressos por estar apenas olhando para seu rosto. Ela mostrou as mãos 4 centímetros de distância. Por isso, fizemos mais uma rodada com apenas quatro pontos. Perguntei se ela precisava de alguma coisa e ela só queria me dar um abraço de agradecimento e se dirigiu de volta para a sala de aula.

Há algumas coisas que eu aprendi (e em alguns casos apenas reforçando) desta experiência:

  1. Nem todos os pontos são sempre necessários. Vimos isso como o protocolo básico passou de 14 para apenas 7 pontos.
  1. O cliente não precisa dizer nada para entrar em sintonia com o assunto. Se o problema é intenso o suficiente, eles estão totalmente sintonizados e as palavras não são necessárias. Além disso, a praticante pode fornecer as palavras de foco quando o cliente não é capaz. Neste caso, foi apenas mais fácil para mim fazer isso, então eu não tenho tempo para explicar o que estávamos fazendo.
  1. Às vezes é simplesmente mais fácil fazer o trabalho, em vez de explicar o que está fazendo. No passado, eu falei de pessoas da EFT, tentando convencê-los a ele. As pessoas não querem EFT (ou qualquer outra ferramenta ou protocolo), eles apenas querem se sentir melho

Ao dizer, “Você quer tentar algo para te ajudar?” eles dizem sim para satisfazer uma necessidade. Mas se eu dissesse: “Você quer tentar uma psicoterapia baseada meridiano que funciona com a energia do corpo para curar a nível celular?” Eu estou indo para obter alguma resistência, porque eu tenho que explicar cada parte da pergunta que eu só perguntei.

  1. Também, porque eu não sinto como se eu tivesse muito tempo para explicar o que estávamos fazendo, eu tinha que usar a técnica de EFT nela e trabalhar o método de respiração. Eu pensei que se eu estava indo para usar a técnica de EFT, era uma chance de colocar mais uma pergunta em sua mente. Achei tão simples a forma como pode ser removida toda a resistência para tentar algo novo.
  1. É possível trabalhar com dois problemas ao mesmo tempo. Eu sei que esta não é a melhor prática. Tenho visto na minha prática como se chega a um resultado eficaz lidar com um pedaço pequeno de cada vez, para depois poder lidar com coisas maiores (muitas vezes podemos entrar em colapso mais facilmente do que apenas trabalhando a questão necessária).

Neste caso, eu não tinha muito tempo. Eu tinha ausentado uma professora do segundo ano de uma classe inteira. Eu tive uma chance em um curto espaço de tempo. Eu só usei 4 pontos e fizemos dois problemas de uma só vez. Funcionou. Se não tivesse, eu teria me mudado para mais pontos e um problema de cada vez. Desde o primeiro contato para poder ouvi-lo, levou menos de 60 segundos foi uma oportunidade fácil de tomar.

Gene Monterastelli

Artigo original disponivel em: http://www.emofree.com/articles-ideas/newcomers/doing-eft-easy-article.html?utm_source=newsletter_137&utm_medium=email&utm_campaign=newsletter-2-5-2015

Podemos utilizar a EFT com objetos inanimados? (o caso da luz de Motor de Rebecca)

Podemos utilizar a EFT com objetos inanimados?

De: Gary Craig & Rebecca Snyder Tradução: Equipe BrasilPNL

objetos inanimados

Luz do motor de Rebecca

Oi a todos,

O Ex- Professor de Stanford Dr. William Tiller (e muitos outros) produziram evidências científicas surpreendentes sobre os efeitos produzidos em objetos inanimados. Será que EFT acrescenta algo a esse fenômeno? Este artigo de Rebecca Snyder não prova essa ideia, mas, quando adicionado aos muitos relatos semelhantes que recebemos, vale a pena considerar essa possibilidade.

Abraços, Gary

Por Rebecca Snyder

Oi Gary,

Aqui está mais uma prova de que a EFT pode ser tentada em tudo. Certa manhã, eu liguei meu carro, e a luz do motor se acendeu. A principio eu achei que estava tudo bem, mas eu fiz uma visita ao meu mecânico para fazer uma verificação. A notícia não foi boa. Em suas palavras, foi “uma parte pequena, não-essencial, mas muito cara” que precisavam de substituição. Ele disse que não substituí-lo não teria consequências negativas, mas que a luz do motor seria mais provável voltar a acender, e se alguma coisa desse errado com o carro, eu não saberia. Com certeza, eu nem bem sai do estacionamento da loja, quando a luz voltou a acender.

Ok, então eu sou uma daquelas pessoas que antropomorfizam seu carro (Ndt: antropomorfizar é tornar algo a forma humana, as nossas características e hábitos antropológicos, nossos costumes). Eu hesitei em gastar US $ 600 para substituir a peça para que meu bebê, meu querido carro, fosse capaz de me dizer se alguma coisa estava errada com ele. Então eu pensei, se ele (o meu carro) fosse o meu bebê, por que ele não responderia a aplicação da técnica? Então, quando cheguei em casa, ainda na calçada eu comecei a aplicar o tapping substituto da EFT, que é aplicar-se a EFT em si mesmo tendo como intenção outra pessoa, ou neste caso, outra coisa.

  • Embora meu tanque de combustível esteja com buraco, eu continuo funcionando maravilhosamente bem.

 

  • Embora minha luz do motor esteja acendendo, minha mãe sabe o qual é o problema, e assim eu não preciso continuar acendendo.

Após duas rodadas, eu liguei o carro e, adivinhe, a luz do motor não acendeu! Até hoje meu bebê ainda funciona maravilhosamente bem.

Obrigado mais uma vez por este milagre inexplicável!

Rebecca Snyder

PS de Gary: Eu conversei com a Rebecca por telefone e ela relata que a luz do motor continua boa a mais de dois meses.

Original em: http://www.emofree.com/articles-ideas/general-ideas/engine-light-articles.html?utm_source=newsletter_135&utm_medium=email&utm_campaign=newsletter-01-15-2015