POR QUE PEDIR AUTORIZAÇÃO PARA ENVIAR REIKI À DISTÂNCIA?

POR QUE PEDIR AUTORIZAÇÃO PARA ENVIAR REIKI À DISTÂNCIA?

De: Geovane Moreira J B Leite*

reiki_distancia

Dúvida que acompanha muitos, inclusive Reikianos que, desconhecendo o porquê não aceitam a condição.

Esta linha é seguida, em regal, por Reikianos espiritualistas, que acreditam em reencarnação e vida pós morte.

É certo que o Reiki não tem, e não tem mesmo, vínculo com qualquer religião, mas é impossível exigir que alguém desassocie qualquer prática de suas crenças, então absolutamente normal e aceitável a associação neste caso, como veremos agora.

Partindo do princípio espiritualista, Deus (Vida, Poder Superior, Criador… o nome que você dá à Força Criadora do Universo) não erra e nada é por acaso, tudo tem uma justificativa, inclusive doença, sofrimento e dificuldade.

A cada encarnação nos é dada a oportunidade de aprendermos e evoluirmos em direção à perfeição, porém, imperfeito que somos, nem sempre a aproveitamos e, algumas vezes, ainda regredimos.

Deus não é vingativo, é justo e amoroso de maneira igual com todos, então, não basta pedirmos perdão e, por mágica, todas nossas faltas são esquecidas ou apagadas. É preciso aprendermos, verdadeiramente, a fazer o que é correto, a ser como temos que ser, como o Plano que Ele tem para nós desde o princípio. Seu amor não aceita que sejamos pela metade, Ele nos quer plenos.

Quando não aprendemos pelo amor, vai pela dor (isso não é frase feita, é uma das maiores verdades da existência). Nestes casos, a dor é um benefício, pois através dela é que aprendemos a agir adequadamente e evoluímos rumo à perfeição e, assim, nosso inconsciente rejeita a melhora (ou cura) e o receptor não aceita receber a energia curadora.

Para melhor entender segue um exemplo (quem já conhece me perdoe, mas muitos ainda estão confusos até aqui e precisam de esclarecimento).

“Por dívidas emocionais acumuladas em outras encarnações, João e Maria aceitam voltar à Terra com a missão, entre outras, de casar e dar à luz José, um desafeto antigo. Encarnam e esquecem as vidas pretéritas, até mesmo para melhor cumprimento da missão, mas ela e todo o passado estão registrados em nosso inconsciente, como a nos cobrar o que tem que ser feito. Maria, que na última encarnação foi casada com Pedro, mas o traiu com João, reencontra o ex marido, o sentimento adormecido floresce e não resistindo aos impulsos, trai João com Pedro. João descobre, em um acesso de ódio mata Pedro e se mata em seguida. José não encarna.”

Maria precisava aprender a dominar seus instintos e não passar por cima da felicidade alheia em prol da sua. Falhou.

João veio para aprender a perdoar, resistir a impulsos vingativos, não prejudicar o outro e não trair. Falhou e, ainda, adquiriu dívida de assassinato e suicídio.

Pedro, que aceitou a missão de ajudar Maria e João, falhou.

José, um desafeto do casal, viria como filho para aprender a amá-los e ser amado, nem nasceu.

É justo que apenas o arrependimento ou pedido de perdão apague todas as falhas? Quantos foram prejudicados por cada erro? Deus é justo e ama Maria como ama José, perdoar Maria seria injusto com José, que, por ela, não teve a chance de evolução… Então, a todos é dada a oportunidade de aprender novamente, sem consciência racional do passado.

Quando não se aprende por amor, vai pela dor e todos voltam com uma carga de sofrimento muito grande, além de uma tristeza sem explicação racional, diagnosticada como depressão.

Seja lá qual a causa do sofrimento, é a forma encontrada para cada um aprender e a tristeza, por sua vez, reflexo do inconsciente que sabe o porquê de tudo e, assim, não deseja a cura e arruma uma maneira de impedir que a pessoa a aceita, pois precisa da doença para sua evolução.

Caso um Reikiano envie Reiki sem autorização do receptor, ele é curado (ou ao menos melhora), porque Reiki cura, mas a lição necessária não é aprendida e o vínculo cármico permanece.

Isto é apenas um exemplo de milhares que nos atingem, afinal, se estamos aqui é porque algo há para aprender… Sem contar a bondade, muitas vezes, disfarçada de egoísmo.

E alguém pergunta: “Como assim?”

Simples:

Meu pai é alcoólatra (exemplo apenas), sofre e faz toda a família sofrer. Racionalmente peço a cura dele, contra sua vontade, por não querer ver os demais sofrerem, mas, inconscientemente, por motivos que desconheço, na verdade, eu não agüento mais a situação, quero que ele se cure de qualquer jeito, mesmo não sendo o melhor pra todos e a todos prejudico com meu egoísmo maquiado de bondade.

Estes e vários outros casos são o motivo para pedir autorização antes do envio de Reiki à distância.

Você não acredita? É direito seu, mas respeite o Reikiano que pede a autorização, pois ele acredita e não temos o direito de impor ao outro nossas vontades e crenças, menos ainda de enganá-lo para que o nosso querer prevaleça.

Obrigada! Namaste!

*Geovane Moreira J B Leite

Mestre em Reiki pelos Sistemas Usui, Karuna Ki, Shambala, SKHM, Amadeus, Ma’heo’ho, Elemental, Celta, Tera Mai, Kundalini Tantra e Chama Violeta. Contato: gemoreirajorge@gmail.com